Osteoporose na menopausa

Osteoporose é uma p alavra difícil, para um problema muito comum entre as mulheres.

A osteoporose é uma doença bastante relacionada à longevidade do ser humano. Ou seja, acontece geralmente quando vamos ficando mais velhos.

Silenciosa, ela não apresenta sintomas tão claros e se acontece principalmente em preferência logo após a meia-idade, ou seja, pessoas acima dos 50 anos.

Mas, o que pouca gente sabe é que as mulheres são como principais causadas: cerca de 30% delas podem sofrer alguma fratura em decorrência da doença, enquanto apenas 13% enfrentam o problema. 

Mas o que é uma osteoporose?

O que caracteriza a osteoporose é uma diminuição progressiva da  densidade óssea  e geralmente é detectada em estágios avançados, somente depois que o indivíduo sofre uma fratura. 

Ou seja, na maior parte dos casos apenas detectamos uma doença e a fragilidade dos ossos quando sofremos uma fratura ou lesão.

Essa diminuição está relacionada à deficiência de cálcio no organismo, componente importante para o fortalecimento dos ossos, e também à falta de  vitamina D , cuja tarefa é absorver o cálcio para o corpo. E é nessa parte que podemos relacionar uma osteoporose com uma menopausa

Entendendo a importância do estrogênio

 

O que está por trás dos sintomas da menopausa é principalmente a queda de produção do hormônio feminino estrogênio.

Ou seja, esse estrogênio produzido pelos ovários, é liberado na primeira fase do ciclo menstrual e é responsável por preparar o útero para a gestação.

Funciona assim: é formada uma camada mais espessa nas paredes do útero para receber um óvulo fecundado; se não houve fecundação, há um descamamento, seguido por um sangramento, que é a menstruação.

Todo esse processo mensal é interrompido quando uma mulher entra na fase da menopausa, que costuma acontecer entre 45 e 55 anos. E é quando há uma queda brutal na produção do estrogênio – principal relação da menopausa com a Osteoporose.

Outra função importante do estrogênio é na proteção da saúde do organismo feminino. Por exemplo, atua na vasodilatação, ou seja, aumenta o calibre das artérias, podendo o risco de obstrução de coágulos que levam ao infarto, além de evitar o acúmulo do colesterol ruim (HDL) e facilitar o colesterol bom (HDL).

Qual a relação da menopausa com a Osteoporose?

No decorrer da vida, os ossos vão sofrendo desgaste e sendo reconstruídos simultaneamente, sem parar. Para que isso ocorra em harmonia, garantir, principalmente, ingredientes: o Cálcio e a Vitamina D no nosso corpo.

É aí que entra o estrogênio: o hormônio é um dos responsáveis por “carregar” o cálcio para dentro dos ossos, para a regeneração do que foi desgastado.

Ou seja, uma osteoporose ocorre durante a menopausa, pois com a redução da produção de estrógeno, uma alteração de Cálcio nos ossos é prejudicada.

Quando não há a reconstrução óssea no mesmo nível de perda da massa, os ossos vão ficando mais porosos e frágeis. Em outras palavras com menor densidade.

Se prevenindo da osteoporose

Para prevenir a Osteoporose, é fundamental ter um esqueleto sadio, para que possamos realizar todos os movimentos que fazemos diariamente.

  • Ingerir mais cálcio: a dieta deve incluir alimentos ricos em cálcio como leite, queijos e iogurtes. Este componente é importante para a estruturação dos ossos;

  • Exposição ao Sol: tomar Sol é importante para aumentar sua reserva de vitamina D, que trabalhará para melhorar a absorção do cálcio do organismo e, consequentemente, fortalecer os ossos;

  • Fazer exercícios regulares: o impacto dos exercícios físicos como caminhada ou corrida são suficientes para fortalecer toda a estrutura óssea. Treinos muito pesados podem trabalhar para o contrário. Consulte sempre um profissional e respeite seu limite.

  • Recomenda-se que mulheres acima dos 40 anos de idade realizem regularmente o exame de densitometria óssea. Pouco invasivo, ele pode diagnosticar a osteoporose ainda em estágios primários, o que possibilita o tratamento imediato e a evita o diagnóstico tardio, pela fratura. Já antes dos 40 anos, recomenda-se o exame apenas se houver outro fator de risco existente, como histórico familiar ou difícil do organismo absorver o cálcio. 

  • Por não haver cura, é essencial prevenir o quadro de osteoporose. Para diminuir os fatores de risco, é preciso evitar o sedentarismo e vícios como o cigarro e álcool em excesso.

Doenças cardiovasculares na menopausa

Cuidar da mente e do organismo, principalmente durante a menopausa, é essencial para que outras doenças se agravem nessa fase da vida da mulher.

Além da osteoporose, algumas doenças cardiovasculares também podem se manifestar antes da última menstruação, como a diabetes, pressão alta e hipotireoidismo.

Quando algumas dessas doenças se desenvolvem deixam a mulher abatida e sem ânimo seja para atividades físicas ou tarefas simples do dia a dia.

Por todos esses motivos é necessário um cuidado especial com você mesma nessa fase do climatério seguido da menopausa, um programa que te ajude a acabar com os sintomas e te dê qualidade de vida.

Conheça o livro 30 receitas para acabar com o calor na menopausa ! A sua farmácia natural está nessa lista de receitas que recomendam todos os ingredientes precisos para aliviar os sintomas.

 

Acabe com os sintomas da menopausa!

Outros Artigos Recomendados para Você:

Leave a Reply